Eu acredito no poder curativo dos poodles

Eu acredito no poder curativo dos poodles.
Poodle não é cachorro de madame.
Na verdade, tem que ter muita fibra moral para ter um poodle.
Eles já chegam mandando em tudo, trocando os móveis de lugar.
Estabelecem horários rígidos e disciplina militar.
Nada de falar alto demais, não gostam de fumantes e de rodas de samba no meio da sala.
Quem tem poodle anda na ponta dos pés.
Poodles moldam o caráter.
São tão elegantes que a gente se sente meio besta ao lado deles, mas são generosos. Todo mundo fica mais bonito desfilando na rua ao lado de um poodle.
Ele pode fazer você ficar mais alto ou se sentir flutuando no ar.
Não se pode rir de um poodle, eles levam tudo à sério. É preciso cuidado com as mudanças súbitas de humor.
Tem que ter energia para brincar, para passear, para aguentar as lambidas.
Poodles sabem mais palavras que muita gente e comunicam sua sabedoria ancestral só no olhar.
Poddles fazem bem para a pele, elevam a autoestima, previnem problemas cardíacos e sua mera presença é um bálsamo para a alma.
Em casos mais graves, recomenda-se 7 passeios por dia, 3 sessões de brincadeira e 4 horas de cafuné e carinho atrás das orelhas.
Um poodle não é um mero cachorro, é um caso à parte.

Eu acredito no poder curativo dos poodles, e vocês?

Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Tumblr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *